Portal do Governo Brasileiro

Central de Mídia do Ministério da Educação

Dia Internacional dos Povos Indígenas: preservar a cultura em sala de aula e garantir acesso ao ensino superior ainda são desafios a serem superados

You must have the Adobe Flash Player installed to view this player.
833
Criado em 09 de Agosto de 2016
Dia Internacional dos Povos Indígenas: preservar a cultura em sala de aula e garantir acesso ao ensino superior ainda são desafios a serem superados
Descrição

 

A educação escolar indígena brasileira avançou muito nos últimos anos, com a inclusão de mais de 220 mil alunos na educação básica. A avaliação é da secretária de Educação Continuada, Alfabetização, Diversidade e Inclusão (Secadi), Ivana de Siqueira. As conquistas dos povos indígenas estão também no acesso ao ensino superior que registra mais de 22 mil alunos em diversas licenciaturas e em cursos específicos que tratam de saúde e questão territorial. Mas, ainda assim, a análise da secretária Ivana, no Dia Internacional dos Povos Indígenas, lembrado em nove de agosto, atenta para os desafios envolvendo a compreensão e respeito à cultura em sala de aula. 

“A educação escolar indígena avançou muito nesses últimos anos, a gente pode realmente comemorar e ressaltar em razão do número de alunos indígenas hoje que nós temos nas escolas. Mas, ainda temos muito a avançar, principalmente no acesso a educação superior desses indígenas. E mais do que o acesso é a permanência deles. Eles têm toda uma cultura própria, línguas, hábitos diferentes e que isso muitas vezes não é respeitado dentro da universidade.” 

Ivana também menciona desafios no ensino médio, como a necessidade da formação de mais professores indígenas. Essa seria uma forma de facilitar o acesso à educação, preservando o vínculo e a identidade desses jovens. 

A coordenadora geral de educação escolar indígena no Ministério, Alva Rosa Lana Vieira, acredita que o investimento em escolas nas próprias aldeias colabora para esse processo. Alva é indígena, do interior na região do Alto Rio Negro, no Amazonas, e conquistou o ensino superior quando já não vivia mais na aldeia de etnia e origem tukano.

Na opinião dela, o nove de agosto é um dia simbólico. A data chama atenção para o que ainda precisa ser feito no esforço de que os povos indígenas tenham seus direitos garantidos. 

“Não seria comemorar, mas lembrar, né, que existem os povos indígenas porque não é fácil para gente que está na frente, eu acho que nesse sentido eu sou o exemplo concreto. E o nosso desafio de ter a formação é muito caro principalmente porque o nosso país é diverso, a própria geografia, ela é difícil. Comemorar não, seria lembrar que existem os povos indígenas e que a gente só quer um direito, no caso, a educação. Ter acesso à educação.”

O Brasil tem 869 mil indígenas e mais de 300 etnias. Os dados são do IBGE. 

O áudio está disponível gratuitamente para utilização das rádios.

09/08/2016 – Sonora: Sandra Fontella

Categoria: Boletim
Download: Veja todos os tamanhos disponíveis

Áudios

relacionados

Voltar ao topo

Categorias

Palavras

populares

© Ministério da Educação. Todos os direitos reservados | Desenvolvimento: DTI - MEC - Governo Federal