Portal do Governo Brasileiro

Central de Mídia do Ministério da Educação

Resultado negativo do IDEB exige pressa na reforma do ensino médio junto ao Congresso

You must have the Adobe Flash Player installed to view this player.
1648
Criado em 08 de Setembro de 2016
Resultado negativo do IDEB exige pressa na reforma do ensino médio junto ao Congresso
Descrição

O ministro da Educação, Mendonça Filho, declarou que a reforma do ensino médio, que tramita no Congresso, precisa ser aprovada com urgência depois que o resultado do Índice de Desenvolvimento da Educação Básica (Ideb) de 2015 mostrou-se insatisfatório. O anúncio foi feito pelo ministro, nesta quinta-feira (8), durante apresentação do atual relatório. 

O Projeto de Lei (PL) 6840/2013 que depende da aprovação dos parlamentares estabelece as diretrizes e bases da educação nacional, propõe a jornada em tempo integral, além de tratar sobre a organização dos currículos do ensino médio em áreas do conhecimento. De acordo com Mendonça Filho, o texto precisa ser aprovado ainda este ano pelo Congresso.

“Em nome do presidente Temer, nós já demandamos ao Congresso a votação da urgência, em regime de urgência, do projeto que reformula a educação de nível médio no Brasil. E nós entendemos que se, por ventura, a pauta do parlamento estiver bloqueada por um número excessivo de medidas provisórias com relação a outros temas, o Presidente da República poderá até editar uma medida provisória para atender a urgência da necessidade das modificações na educação de nível médio no Brasil.”

De acordo com o ministro, os números do Ideb 2015 alertam para a necessidade de medidas imediatas também por parte de estados e municípios. A meta para o ensino médio não foi alcançada e o índice permanece estagnado desde 2011. O objetivo era que chegasse a 4,3, mas o índice segue na casa dos 3,7. Apenas os estados de Pernambuco e Amazonas alcançaram índices positivos. Da mesma forma, a meta do Ideb também não foi cumprida nos anos finais do Ensino Fundamental (6º ao 9º ano), apesar do índice ter evoluído, passou de 4,2, em 2013; para 4,5, em 2015. A meta era de 4,7. Com isso, cinco estados superaram a faixa esperada: Goiás, Ceará, Mato Grosso, Amazonas e Pernambuco. Para o ministro, o resultado é preocupante.

“É uma tragédia principalmente nos anos finais do ensino fundamental e no ensino de nível médio no Brasil que, infelizmente, está muito distante de algo que seria razoável. Então, há necessidade de uma mobilização dos governos federal, estaduais, municipais, da sociedade, para que a gente possa buscar uma reformulação e atualização completa da educação brasileira, principalmente da educação de nível médio.”

Somente nos anos iniciais do ensino fundamental o Ideb foi superado. 

O Índice de Desenvolvimento da Educação Básica é um indicador de desempenho da educação brasileira divulgado a cada dois anos pelo Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep). Para o cálculo, o Ideb relaciona duas dimensões: o desempenho dos estudantes em avaliações de larga escala e a taxa aprovação. O resultado completo dos dados está no site http://www.inep.gov.br/

O áudio está disponível gratuitamente para utilização das rádios.

08/09/2016 – Sonora: Sandra Fontella

 

Categoria: Boletim
Download: Veja todos os tamanhos disponíveis

Áudios

relacionados

Voltar ao topo

Categorias

Palavras

populares

© Ministério da Educação. Todos os direitos reservados | Desenvolvimento: DTI - MEC - Governo Federal