Portal do Governo Brasileiro

Central de Mídia do Ministério da Educação

Presidente do Consed esclarece principais pontos do novo ensino médio

You must have the Adobe Flash Player installed to view this player.
690
Criado em 23 de Setembro de 2016
 Presidente do Consed esclarece principais pontos do novo ensino médio
Descrição

Em cerimônia realizada no Palácio do Planalto, durante o lançamento do novo modelo do ensino médio, o presidente do Conselho Nacional de Secretários de Educação (Consed), Eduardo Deschamps, destacou alguns dos principais pontos desse processo de reforma desta etapa escolar. Ele afirma que o modelo proposto já foi alvo de vários estudos com resultados positivos, beneficiando estudantes de todo o mundo.  

“Com a nova legislação, o Brasil moderniza o ensino médio, permitindo implementar as melhores soluções, que têm dado certo em todo mundo na educação de jovens dos 15 aos 17. Ao flexibilizar o ensino médio e permitir trilhas diferenciadas ao aluno, o Brasil coloca o estudante e seu projeto de vida como centro da educação desta etapa de ensino.”

A formação técnica e profissional dentro da carga horária do ensino regular também ganha força com a nova proposta, conforme menciona o presidente do Consed.

“Ao permitir que a educação profissional seja uma dessas trilhas, o Brasil cria um forte incentivo aos mais de 80% dos jovens brasileiros que não seguem o seu caminho do final do ensino médio, diretamente à universidade. Eles, agora, vão ter um incentivo adicional para permanecerem estudando nessa etapa de ensino, com a perspectiva de construir uma carreira profissional, a encontrar efetivamente um sentido para o ensino médio em sua vida.”

O novo modelo, mais flexível, valoriza a aprendizagem e permite que o processo seja adequado à realidade de cada aluno.

“O mais importante é que a nova legislação não impõe um único modelo para o ensino médio, como o Brasil historicamente vem conduzindo. Ela permite inovar, criar diferentes formas de oferta, sempre sintonizadas, mais uma vez, com as aspirações dos estudantes e sintonizadas com cada realidade regional do país.”

Eduardo Deschamps fala ainda sobre os desafios e do esforço conjunto que será necessário para que o novo ensino médio seja colocado em prática de maneira gradual.

“Aí residem os grandes desafios daqui para a frente: Ministério da Educação, Consed, Conselho Nacional de Educação, Conselhos estaduais de educação, [todos] terão a partir de agora que detalhar os novos modelos que essa nova legislação irá permitir para o ensino médio. A oferta das ênfases, como realizar articulação com educação profissional e tecnológica; como realizar a mobilidade entre as escolas e sistemas por parte do aluno - uma vez que não vamos mais ter o ensino médio único -; como realizar a formação dos professores para esse novo ensino médio que vai se apresentar, como viabilizar a ampliação da oferta de tempo integral, integrada com a proposta que aparece na meta 5 do Plano Nacional de Educação; e como, principalmente, implementar os novos currículos baseados em competências.  

A Base Nacional Comum Curricular também é um dos eixos da reformulação do novo ensino médio.

“A importância da Base Nacional Comum Curricular, que vai estabelecer o que é essencial e obrigatório que todos os alunos do Brasil aprendam ou desenvolvam em sua trajetória escolar, também é ponto fundamental para essa reformulação do ensino médio. Mas, principalmente, como nós podemos dar voz aos estudantes para que a nova legislação possa desenvolver todo o seu potencial de protagonismo.”

O presidente do Consed esclarece que o diálogo é essencial, entre todos da rede. Assim como a participação da sociedade para que o país avance nesta nova etapa.

“O Consed já tem realizado negociações com o MEC para que nós possamos realizar a partir de novembro e, se puder antes, uma série de seminários que possam envolver jovens para que, a partir de suas expectativas, possamos desenhar orientações para as secretarias de educação e para a reorganização da oferta de seus cursos. Ao mesmo tempo, também realizaremos seminários nos moldes como realizamos agora da Base Nacional Comum Curricular, com professores e gestores pra que eles, em conjunto com gestores do governo federal e dos governos estaduais, possam realizar também a devida orientação para a implementação de uma legislação, que agora está totalmente flexibilizada.”

Eduardo Deschamps finaliza alertando para a necessidade da reforma do ensino médio, agradecendo o apoio do governo que agora dá condições para que a mudança seja feita dentro dos prazos necessários.

“Não temos, não temos mais como adiar a reforma do ensino médio. É urgente, é prioritária. Porque quem sofre com a demora em implantar essa reforma são milhares de jovens brasileiros que não encontram, no ensino médio hoje, sentido. Mas não apenas os jovens. A sociedade brasileira também sofre. Pois o Brasil precisa, em todas as áreas, incluindo sua área social, de cérebros, de inteligências sintonizadas com o século XXI e, quiçá, com séculos vindouros.” 

Categoria: Boletim
Download: Veja todos os tamanhos disponíveis

Áudios

relacionados

Voltar ao topo

Categorias

Palavras

populares

© Ministério da Educação. Todos os direitos reservados | Desenvolvimento: DTI - MEC - Governo Federal