Portal do Governo Brasileiro

Central de Mídia do Ministério da Educação

Trilhas da Educação: A educação no ritmo do funk

You must have the Adobe Flash Player installed to view this player.
607
Criado em 30 de Setembro de 2016
Trilhas da Educação: A educação no ritmo do funk
Descrição

No programa de hoje vamos falar sobre música e educação - e sobre como essa dupla tem transformado a realidade de jovens e adultos estudantes das escolas públicas de São Paulo. Foi da experiência vivida pelo músico Alex dos Santos, conhecido pelo apelido de Lemaestro, que os ritmos do funk e rap passaram a invadir a sala de aula, com um novo conceito: a educação da ostentação. Lemaestro encontrou na semelhança com o funk ostentação, a alternativa para a criação de rimas que falam da importância de frequentar o colégio, por exemplo. 

“A gente criou esse conceito já que hoje, no meio dos jovens, principalmente, jovens de periferia, tem muito dessa coisa de ostentar o cordão, ostentar o tênis de mil reais. Mas, a gente acredita que para o jovem ter uma vida de qualidade no futuro ele precisa ostentar a melhor nota na escola, o melhor comportamento, os melhores projetos e empreender para que um dia, assim, ele consiga ter todas essas coisas e uma vida de dignidade.” 

Lemaestro tem 28 anos e total propriedade para falar das situações que narra em seus versos. Vindo de uma família que enfrentou o uso de drogas e o alcoolismo, ele parte de sua história para alcançar a juventude.   

“Com 16 anos eu estava no ensino médio, entrei no mundo das drogas, viciei em cocaína e fiquei oito anos dependente dessa droga. Fui hospitalizado algumas vezes. Até que eu resolvi buscar ajuda, fui para uma casa de recuperação. Foi lá que eu tive com a música, com o rap, e foi quando eu pensei em utilizar esse talento pra causar transformação quando eu tivesse aqui do lado de fora.”

E foi isso que Lemaestro fez. O curioso é que o primeiro passo uniu música e esporte, ao ritmo do Rap. Depois disso, os projetos cresceram e novas oportunidades foram surgindo na vida do jovem. 

“Do lado de fora, então, eu comecei a fazer um projeto com o skate, de Rap. Aí, eu encontrei com o Eduardo Lira que na época tava fundando o ‘Gerando Falcões’. Começamos a caminhar juntos, criamos o MCs pela Educação e, a partir daí, a gente começou levar essa proposta para dentro das escolas. Então, nas palestras eu conto essa história e reforço a importância do jovem estudar. Até porque depois que eu comecei a valorizar a educação, você entende o valor que ela tem e o poder de transformação que ela tem. E eu fui pra faculdade, fui fazer sociologia, vou aprender inglês.’’

Hoje, Lemaestro cursa sociologia. Sua influência com os jovens é tamanha que, em 2014, foi escolhido, em uma iniciativa do Fórum Econômico Mundial, como um dos dezessete paulistas de até 30 anos com potencial para mudar o mundo. Ele segue no grupo MCs pela Educação, um dos eixos do instituto Gerando Falcões, como coordenador de Arte e Cultura, na cidade de Poá, na Grande São Paulo - lugar onde nasceu e cresceu.

“Acho que é possível a gente mudar a nossa realidade, planejar nosso futuro e garantir um lugar de sucesso na sociedade a partir da valorização da educação. Então, a inspiração vem de querer transmitir essa mensagem, com mais clareza possível. E eu penso muito no outro, penso muito nos jovens. Penso muito naquilo que ele pode ser e para onde ele pode ir.”

Para Lemaestro o caminho é a educação. Ela é a motivação para que todos busquem seus objetivos e mais: comemorem suas realizações. 

“Eu tento colocar na letra informações que vão deixar esses jovens antenados pra que ele possa correr atrás do sonho dele, daquilo que ele quer a partir da letra daquela música. A minha inspiração é o jovem, é querer ver o bem, a inspiração é o amor pela causa.”

Texto e Narração: Josiane Canterle; Masterização: Jeyson Gonzaga Cavalcante e vinheta: Luiz Antônio

Categoria: Boletim
Download: Veja todos os tamanhos disponíveis

Áudios

relacionados

Voltar ao topo

Categorias

Palavras

populares

© Ministério da Educação. Todos os direitos reservados | Desenvolvimento: DTI - MEC - Governo Federal